Início Dicas Lendo

Doença Inflamatória Pélvica

Doença  Inflamatória  Pélvica:

A doença inflamatória pélvica (DIP) é um processo inflamatório infeccioso que inicia-se em geral pela ascensão de agentes infecciosos (bactérias) vaginais ou do colo do útero podendo atingir estruturas genitais superiores como útero,trompas,ovários e tecidos próximos provocando inflamação nesses órgãos.

Os fatores de risco para DIP incluem: idade menor de 25 anos, novo ou múltiplos parceiros sexuais, atividade sexual sem proteção ou com parceiros sintomáticos, inicio precoce da vida sexual(menor de 15 anos) ou história de doença sexualmente transmissível(DST) ou DIP. Entretanto a possibilidade de DIP deve ser considerada em qualquer mulher com vida sexual ativa. O diagnóstico de DIP é clinico e em geral inicia-se com um quadro de dor abdominal infraumbilical, com inicio abrupto em mulher sexualmente ativa. A dor caracteriza-se por piorar durante a penetração sexual e pode vir acompanhada de sintomas urinários como aumento da frequência , corrimento vaginal  e sangramento uterino anormal. A febre pode estar presente mas não é sintoma dominante inicialmente. Os exames de imagem são reservados aos casos de incerteza diagnóstica ou suspeita de complicações da própia DIP como o abscesso tubo-ovariano(coleção de pús envolvendo trompas e ovários). Assim o médico deve iniciar o tratamento de DIP nas mulheres sexualmente ativas com quadro clinico compatível e afastadas outras causas.

O tratamento é realizado com uso de antibióticos e medicações para dor administrados por via oral ou venosa , naqueles casos que precisam de internação hospitalar por conta de sintomas mais intensos como febre alta ou necessidade de tratamento cirúrgico. O atraso diagnóstico contribui para o surgimento de sequelas que incluem infertilidade(dificuldade de engravidar), gravidez ectópica(fora do útero) e dor pélvica crônica.

Após a resolução da infecção as pacientes devem ser informadas de possíveis sequelas da DIP, importância de práticas sexuais seguras assim como o tratamento do parceiro e o risco de múltiplos parceiros no reaparecimento da DIP. O diagnóstico e tratamento precoces são fundamentais para evitar sequelas e possível comprometimento na vida reprodutiva impedindo ou dificultando uma futura gestação.